Ambliopia: o que é o olho preguiçoso?

Compartilhe nas Redes:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

Ambliopia e a capacidade visual

Popularmente conhecida como “olho preguiçoso”, a Ambliopia é a diminuição da capacidade visual causada pela falta de estimulação adequada durante a formação da visão. A primeira etapa da formação visual acontece até os 2 anos de idade, e a segunda encerra com o fim da primeira infância – entre 7 – 8 anos.

A ambliopia não é uma doença, mas pode ser ativada por conseqüência de uma doença visual hereditária ou também por alterações que impeçam a entrada de luz até a retina (catarata congênita, por exemplo) ou pelo estrabismo. A indicação é que essas alterações sejam corrigidas o mais cedo possível, por isso é importante a criança já fazer uma consulta oftalmológica no seu primeiro ano de vida.

Erros refrativos são a principal causa da Ambliopia

As causas mais comuns de ambliopia são os erros refrativos. A miopia e o Astigmatismo são exemplos desse tipo de alteração. Na primeira consulta e anualmente é avaliado se a criança tem algum erro refrativo para que possa ser corrigido com o melhor tratamento. De modo geral, o tratamento da Ambliopia é feito com estímulos visuais direcionados ao olho preguiçoso. O método tradicional é o uso de tampões no olho bom para que, dessa forma, o olho com a alteração possa ter o seu desenvolvimento estimulado.

É importante destacar que a Ambliopia não é um problema fisiológico de desenvolvimento do olho, mas sim, a falta de desenvolvimento adequado da visão. Em outras palavras, o cérebro não aprendeu a “enxergar” e precisa ser orientado a isso. Pela ambliopia ser causada tanto por erros refrativos, quanto por alterações anatômicas em um olho só, ela pode , na maioria das vezes, não ser identificada pelos pais.

Como a alteração visual não é aparente nos casos de erros refrativos, os pais podem ficar atentos à dificuldade de enxergar da criança através de brincadeiras. Por exemplo, eles podem pedir à criança para tapar os olhos, um por vez, e dizer o que ela está vendo. Como o cérebro aplica a lei do “menor esforço”, a criança vai reagir instintivamente e preferir usar o olho bom na brincadeira, principalmente as não alfabetizadas. A socialização das crianças por meio de brincadeiras é muito importante para o seu próprio desenvolvimento fisiológico. Sempre que possível, brinque com as crianças!

A importância da alfabetização para a identificação da Ambliopia

O processo de alfabetização, nesta fase da vida, entre os 5 e 7 anos, também é crucial para detectar possíveis erros refrativos. O convívio com outras crianças e o processo educativo podem levar à atenção dos educadores ao notarem alguma dificuldade de socialização ou de aprendizado. Uma criança rotulada como hiperativa pode, na verdade, não estar enxergando bem.

O cérebro infantil é incrível. Enquanto existir potencial e plasticidade cerebral para desenvolver a visão, existem possibilidades de recuperação. Mas a identificação e tratamento precoces são fundamentais, é por isso que a primeira consulta oftalmológica deve ser feita entre os 6 meses e 1 ano de vida, e as revisões anuais mantidas até, pelo menos, os 8 anos de idade.

Para que os exames tenham efeitos mais satisfatórios, o ideal é procurar um médico periodicamente. E, não esqueça, as vantagens para quem não relaxa com a saúde dos olhos são muitas!

Fique por dentro de todas as novidades da oftalmologia geral moderna neste blog!
Para maiores informações, procure seu oftalmologista ou agende uma consulta com a Dra. Cristiane Bins!

Se interessou pelo assunto? Tem alguma dúvida? Mande seu comentário aqui no post para que possamos seguir compartilhando conteúdos confiáveis sobre a saúde dos nossos olhos. E se precisar agendar uma consulta, entre em contato para marcarmos uma avaliação!

Aproveite para saber um pouco mais sobre o Ceratocone e o Astigmatismo. Clicando nos links, você pode ler sobre o tratamento do Ceratocone ou sobre os mitos a respeito do Astigmatismo. Boa leitura!

 

 

Cristiane Araujo Bins - Doctoralia.com.br

Continue se Informando

Veja Mais Novidades:

Plástica Ocular

O que é plástica ocular?

A Plástica Ocular é uma subespecialidade da oftalmologia que, como você sabe, é o ramo da Medicina que trata os olhos. Mas diferente do que muita gente imagina, a cirurgia plástica ocular não é feita dentro dos olhos e sim ao redor, tanto para finalidade reparadora e funcional quanto para estética.

Estrabismo

O que é o estrabismo?

Chamamos de estrabismo a condição que deixa os olhos da pessoa desalinhados, quando eles apontam em direções diferentes. Popularmente conhecido como vesgos, as pessoas com estrabismo podem ter os olhos convergentes, quando o olho desvia para dentro, divergentes, quando desvia para fora, e também na vertical, em que o desvio ocorre para cima ou para baixo.

lacrimejamento

O que é o lacrimejamento?

A nossa lágrima é produzida a todo momento pela glândula lacrimal principal e por outras pequenas glândulas acessórias, distribuídas por todo o olho. Essa lágrima segue um caminho natural em direção a dois pontos localizados no canto de dentro dos olhos, chamados de pontos lacrimais – como se fossem os ralos de drenagem das lágrimas.

Agende Sua Consulta!