O que é Melanoma de Coróide?

Compartilhe nas Redes:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

O Melanoma de Coróide é um pequeno tumor ocular subretiniano, e ele também é um câncer. Ele é “primo” do melanoma de pele, mas interfere no nosso olho por dentro. Este tumor ocular aparece basicamente por azar, ainda não se sabe exatamente quais são as causas do seu surgimento.

Já se sabe que ele é mais frequente em pacientes de pele e cabelo claro, e de olhos azuis ou verdes. O Melanoma de Coróide também pode se manifestar em pacientes acima dos 70 anos e que apresentam alguns tipos de pintas no fundo do olho, bem como o aumento da pigmentação. 

De maneira geral, ainda não se sabe muito sobre qual é a causa do surgimento de um Melanoma de Coróide. Este tumor ocular é relativamente raro, afetando sete pacientes por milhão a cada ano, e, mesmo assim, ele é o tumor mais comum de se encontrar dentro do olho. 

Quais são os sintomas do Melanoma de Coróide?

O quadro clínico que o paciente sente varia muito e depende da localização do tumor por dentro do olho. Se o tumor ocular estiver no centro, o paciente apresentará baixa visão ou visão embaçada. Caso ele seja encontrado em áreas mais periféricas do olho, o melanoma pode acabar crescendo muito antes de ser detectado. Por isso é importante que, depois dos 40 anos de idade, a procura pelo Oftalmologista seja feita e que o fundo do olho seja examinado uma vez por ano. 

Diagnóstico do Melanoma de Coróide 

Quando o médico examina o fundo do olho e suspeita de um tumor, ele vai pedir alguns exames. O mais importante é o exame de ultrassom ocular e, com este exame, será possível identificar algumas características que podem ser fundamentais para o médico saber se é ou não um caso de Melanoma de Coróide. 

Entre outras características, o médico precisa anotar a espessura do tumor ocular e a sua refletividade, ou seja, ele consegue fazer um gráfico e anotar na fotografia quanto do som do ultrassom volta da lesão. Esta informação é muito importante porque, com ela, o médico consegue dizer se tem mais ou menos chance de ser um Melanoma de Coróide. 

Como prevenir tumores oculares?

O câncer que costuma aparecer em crianças é o Retinoblastoma e, infelizmente, não existem muitos métodos preventivos. A nossa principal preocupação é o diagnóstico precoce. Estas crianças podem apresentar Estrabismo (também conhecido como olho torto) ou Leucocoria, um reflexo alterado dos olhos quando o retrato da criança é tirado com flash. 

Melanoma de Coróide
As consultas periódicas com o oftalmologistas são importantes para o diagnótico precoce do Melanoma de Coróide.

Nos adultos os tumores oculares podem acometer diferentes partes do olho:

A pálpebra e a conjuntiva

Nestes casos, o principal fator de risco é a exposição ao sol. É importante usar chapéu ou boné e óculos se você ficar muito tempo em exposição.

Câncer intraocular

Não afeta nem a pálpebra ou a conjuntiva, e é um câncer que o paciente não consegue visualizar se olhando no espelho. Como regra, o câncer intraocular causa algum tipo de alteração na visão e também não podem ser prevenidos. 

Diagnóstico precoce do Melanoma de Coróide

É por este motivo que a principal preocupação dos médicos é o diagnóstico precoce da doença. Se o paciente perceber que a sua visão, ou de um dos olhos, piorou ele deve procurar um oftalmologista. Outra ação que pode ajudar no diagnóstico precoce do câncer é o exame oftalmológico anual após os 40 anos de idade. 

Dra. Cristiane Bins: a sua referência de Oftalmologia em Porto Alegre!

Sempre que você tiver dúvidas sobre a sua visão ou se aparecer alguma alteração visual, como manchas, sensibilidade à luz ou baixa visão repentina, é importante que você procure o seu médico oftalmologista. Se estiver na Zona Sul de Porto Alegre, pode contar com os serviços da Dra. Cristiane Bins, a sua nova referência em Oftalmologia! Clique aqui para marcar uma consulta. 

Cristiane Araujo Bins - Doctoralia.com.br

Continue se Informando

Veja Mais Novidades:

Plástica Ocular

O que é plástica ocular?

A Plástica Ocular é uma subespecialidade da oftalmologia que, como você sabe, é o ramo da Medicina que trata os olhos. Mas diferente do que muita gente imagina, a cirurgia plástica ocular não é feita dentro dos olhos e sim ao redor, tanto para finalidade reparadora e funcional quanto para estética.

Estrabismo

O que é o estrabismo?

Chamamos de estrabismo a condição que deixa os olhos da pessoa desalinhados, quando eles apontam em direções diferentes. Popularmente conhecido como vesgos, as pessoas com estrabismo podem ter os olhos convergentes, quando o olho desvia para dentro, divergentes, quando desvia para fora, e também na vertical, em que o desvio ocorre para cima ou para baixo.

lacrimejamento

O que é o lacrimejamento?

A nossa lágrima é produzida a todo momento pela glândula lacrimal principal e por outras pequenas glândulas acessórias, distribuídas por todo o olho. Essa lágrima segue um caminho natural em direção a dois pontos localizados no canto de dentro dos olhos, chamados de pontos lacrimais – como se fossem os ralos de drenagem das lágrimas.

Agende Sua Consulta!