Como a diabetes pode afetar a sua visão?

Compartilhe nas Redes:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

A diabetes afeta cerca de 537 milhões de pessoas no mundo todo. Ou seja, 1 em cada 10, convive com essa condição e muitas nem sabem que possuem essa doença. No dia 14 de novembro é considerado o dia mundial da diabetes

Por isso, falaremos sobre essa doença tão comum e o quanto ela pode afetar na sua saúde ocular.

O que é a diabetes? 

A diabetes é uma doença metabólica que ocorre devido à falta ou insuficiência na produção de insulina, que é produzida no pâncreas pelas células betas, e, como consequência, acaba aumentando o nível de açúcar no sangue (desenvolvendo um quadro de hiperglicemia).  Ou seja, é um quadro clínico de hiperglicemia prolongado.

Abaixo, falaremos sobre os dois tipos de diabetes que podem ser desenvolvidas:

Diabetes Tipo 1

O quadro de diabetes Tipo 1 é formado quando as células betas do pâncreas são destruídas por um processo imunológico, onde, o organismo desenvolve anticorpos contra essas células betas e resultando na insuficiência de insulina.

Sintomas do Diabetes Tipo 1

Os sintomas mais comuns no início do desenvolvimento do quadro são:

  • Sede;
  • Diurese (excesso ou dificuldade de urinar);
  • Fome excessiva;
  • Cansaço e fraqueza;

Em caso de não tratamento ou a falta de um diagnóstico com um médico especialista, esse quadro de sintomas pode evoluir para Cetoacidose Diabética, necessitando de internação, após apresentar os seguintes sintomas:

  • Desidratação severa;
  • Sonolência;
  • Vômitos;
  • Dificuldade de respirar;
  • Coma.

Diabetes Tipo 2

A grande maioria dos casos desenvolvidos da diabetes é do Tipo 2. Estima-se que 90% dos casos são do Tipo 2. Nesse quadro, as células betas pancreáticas produzem a insulina de forma que o paciente acaba se tornando resistente à insulina pela sua função ineficaz. 

Sintomas do Diabetes Tipo 2

Como esse quadro se desenvolve de forma mais lenta, é possível que o paciente demore anos para descobrir, assim o quadro só será diagnosticado na forma mais avançada, onde os sintomas mais comuns são:

  • Sede;
  • Aumento da diurese;
  • Dores nas pernas;
  • Alterações visuais;
  • Desidratação;
  • Coma.

Outros tipos de Diabetes

Além dos tipos mais comuns, podemos falar sobre outras formas de diabetes que são raros, mas necessários de pontuar, essas outras formas incluem defeitos genéticos da função da célula beta (MODY 1, 2 e 3), defeitos genéticos na ação da insulina, doenças do pâncreas (pancreatite, tumores pancreáticos, hemocromatose), outras doenças endócrinas (Síndrome de Cushing, hipertireoidismo, acromegalia) e uso de certos medicamentos.

Além dos citados, podemos citar a forma da diabetes gestacional, podendo ser transitório ou não e, ao término da gravidez, a paciente deve ser investigada e acompanhada. Na maioria dos casos, o quadro é detectado no terceiro trimestre da gravidez, através de um teste de sobrecarga de glicose. As gestantes que tiverem história prévia de diabetes gestacional, de perdas fetais, más formações fetais, hipertensão arterial, obesidade ou história familiar de diabetes não devem esperar o 3º trimestre para serem testadas, já que sua chance de desenvolverem a doença é maior.

E como a diabetes afeta a saúde dos seus olhos?

Um dado assustador levantado pelo IBOPE, em 2020, revelou que 70% dos entrevistados não sabiam que o diabetes poderia afetar a visão. E esse é o primeiro ponto a ser destacado, a falta de conhecimento sobre a doença, pode afetar de forma crucial a saúde dos seus olhos.

Por isso, é de extrema importância a consciência de que a diabetes pode afetar sua visão ou desencadear outras doenças oculares, chamadas de doenças oculares diabéticas. Por exemplo: glaucoma, catarata, cegueira, retinopatia diabética e edema macular diabético (EMD).

Retinopatia diabética

A Retinopatia diabética é uma condição que ataca a saúde da retina do paciente detectado com diabetes de duas formas: não-proliferativo e proliferativo.

A primeira forma, não-proliferativo, é o tipo mais comum. Os pequenos vasos sanguíneos (capilares) que ficam atrás do olho, incham e formam bolsas, essas bolsas acabam interceptando a passagem de sangue na região.

Ademais, a forma não-proliferativa pode progredir para o tipo mais agressivo que é o proliferativo. Essa condição acaba obstruindo completamente os vasos sanguíneos e impedem a passagem de oxigênio, resultando em uma hemorragia vítrea e até mesmo, o deslocamento de retina. 

Outro fator muito relevante da Retinopatia diabética é a demora em apresentar sintomas. De forma que acaba dificultando o tratamento, por apresentar sintomas nas fases tardias da doença, e assim, levando o afetado a perder a visão.

Edema macular diabético (EMD)

Grande parte dos pacientes diabéticos com Retinopatia podem desenvolver o edema macular diabético devido as alterações estruturais nos vasos sanguíneos, causados pelo quadro prolongado de hiperglicemia. As paredes capilares podem perder o controle da passagem de substâncias entre o sangue e a retina, causando o vazamento do humor aquoso – que é responsável por manter a saúde dos olhos e a nossa visão limpa – embaçando nossa visão ou até mesmo provocando a cegueira.

E qual é o momento de consultar com o seu oftalmologista?

A diabetes é uma doença silenciosa, e boa parte das complicações mais graves ocorrem devido ao diagnóstico tardio. Dessa forma, assim que diagnosticado, o médico oftalmologista vai aplicar um exame de rastreamento para pacientes que já possuem o diagnóstico e não apresentam nenhuns sintomas.

As recomendações para cada caso na aplicação do teste é de realiza-lo em até 5 anos após o diagnóstico de Diabetes tipo 1 e no momento da descoberta da diabetes Tipo 2, consultar com seu oftalmologista de confiança.

Dra. Cristiane Bins: a sua referência de Oftalmologia em Porto Alegre!

Sempre que você tiver dúvidas sobre a sua visão ou se aparecer alguma alteração visual, como manchas, sensibilidade à luz ou baixa visão repentina, é importante que você procure o seu médico oftalmologista. A Dra. Cristiane Bins é Oftalmologista e Especialista em Cirurgia Plástica Ocular e, se estiver na Zona Sul de Porto Alegre, pode contar com os serviços da Dra. Cristiane Bins, a sua nova referência em Oftalmologia! Clique aqui para marcar uma consulta.

Continue se Informando

Veja Mais Novidades:

Cegueira

Cegueira

O diagnóstico precoce poderia reverter 70% dos casos de cegueira. Entenda a diferença entre essa doença na fase adulta e infantil.

Agende Sua Consulta!