É possível corrigir as olheiras com a blefaroplastia?

Compartilhe nas Redes:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

Quando o assunto é olheiras, sabemos como elas podem ser desagradáveis e deixar o rosto com aspecto cansado e abatido. Geralmente, um rosto com olheiras está relacionado ao cansaço, estresse e noites mal-dormidas.

Entretanto, o aparecimento de olheiras não, necessariamente, está relacionado a fatores externos, elas podem se desenvolver por fatores genéticos e o envelhecimento natural do rosto. E há casos onde há tratamentos para reverter esse problema que incomoda muitas pessoas. Para isso, é necessário entender quais tipos de olheiras podem ser desenvolvidas e o tratamento necessário.

O que são as olheiras?

Quando o assunto é envelhecimento, uma das primeiras áreas no rosto a apresentar sinais é a região periorbital (região em torno dos olhos). Essa área é delicada e requer cuidado e experiência na hora de realizar qualquer procedimento com fins estéticos para rejuvenescimento.

Dessa forma, é importante esclarecer que olheiras são as manchas escuras localizadas abaixo dos olhos. A anatomia da região periorbital facilita o desenvolvimento de olheiras, tendo em vista que há pouca gordura subcutânea e a pele bastante fina, facilitando a visualização do plexo vascular que é bastante denso nesta região. 

As causas para o aparecimento de olheiras são diversas. Falaremos um pouco mais delas, abaixo.

Quais são as causas para as olheiras?

A causa para o aparecimento de olheiras são variadas e afetam principalmente as mulheres nas mais diversas faixas etárias. Elas podem ser dividas em:

Fatores intrínsecos:

  • Tom de pele;
  • Tipo de pele; 
  • Genética;
  • Origem étnica;
  • Quantidade e qualidade de melanina na pele;
  • Estrutura óssea;
  • Alterações hormonais;
  • Período fértil ou alterações hormonais.

Fatores extrínsecos:

  • Estilo de vida, exposição solar, cansaço, fadiga; 
  • Atopias, alergias de contato
  • Hiperpigmentação pós inflamatória (geralmente ocorre no pós operatório de cirurgias que podem gerar acúmulo de líquidos e com o tempo originam depósitos de pigmentos em processos crônicos);
  • Terapia hormonal, anticoncepcionais orais;
  • Tabagismo, álcool;
  • Certos medicamentos, como anti-inflamatórios não esteroides e quimioterápicos;
  • Princípio ativo de colírio para tratamento de glaucoma que pode aumentar a pigmentação da pele periocular.

Tipos de olheiras

Outro fator a ser avaliado é quanto aos tipos de olheiras que podem ser desenvolvidas. Trouxemos uma classificação definida pela escala de Fitzpatrick (Mac-Mary et al., 2019), que é dividida em: 

Fototipo 1 e 2:

Mais comuns em pele mais clara devido a transparência há visualização dos vasos e o próprio músculo orbicular. Esse tipo de olheira vascular tem aspecto arroxeado, pele muito fina, que também pode ter relação hormonal e retenção de líquido associados.

Fototipo 3 e 4:

Conhecidos como olheira pigmentar, ocorre devido a melanocitose primária, exposição solar, gestação, melasma, pigmentação pós inflamatória ou quando há o depósito de algum tipo de pigmento.

Fototipo 5-6: 

Conhecida como olheiras pelos sulcos, ocorre quando há depressões, envelhecimento, perda de volume médio facial, proeminência gordura orbital.

A saber, no processo de envelhecimento, há um remodelamento do arcabouço ósseo, a cavidade orbital se altera, aumentando diagonalmente, principalmente por perdas dos ossos zigomático e maxilar. E a têmpora, embora não leve a olheira, ajuda na queda da pálpebra, do tecido facial. Deixando o olho mais fundo e envelhecido.

E quando a Blefaroplastia é o tratamento recomendado para olheiras?

Após compreender um poucos sobre as causas das olheiras e os diferentes tipos, é possível concluir que para a grande maioria dos casos, somente a combinação de diversos tratamentos podem ser realizados para o tratamento de olheiras, como é o caso da luz pulsada, preenchedores e o mais eficaz, a Blefaroplastia.

A blefaroplastia inferior é um excelente procedimento para ser utilizado em caso de olheiras de fototipo 5 e 6. Já que a causa desse tipo de olheira está relacionada ao excesso de pele e bolsas palpebrais, sulcos muito profundos.

Com o envelhecimento natural da face, a blefaroplastia por excisão de gordura transconjuntival é uma forma eficaz de tratar a perda de volume na bochecha que é uma das causas mais comuns para o aparecimento das olheiras.

Por fim, a melhor avaliação será feita pelo seu médico oftalmologista de confiança, assim ele recomendará o melhor tratamento para o seu caso.

Dra. Cristiane Bins: a sua referência de Oftalmologia em Porto Alegre!

Sempre que você tiver dúvidas sobre a sua visão ou se aparecer alguma alteração visual, como manchas, sensibilidade à luz ou baixa visão repentina, é importante que você procure o seu médico oftalmologista. A Dra. Cristiane Bins é Oftalmologista e Especialista em Cirurgia Plástica Ocular e, se estiver na Zona Sul de Porto Alegre, pode contar com os serviços da Dra. Cristiane Bins, a sua nova referência em Oftalmologia! Clique aqui para marcar uma consulta.

Continue se Informando

Veja Mais Novidades:

Cegueira

Cegueira

O diagnóstico precoce poderia reverter 70% dos casos de cegueira. Entenda a diferença entre essa doença na fase adulta e infantil.

Perigos da blefaroplastia

Os perigos da blefaroplastia

Com certeza você já deve ter ouvido falar na Blefaroplastia, certo? Seja nesse blog ou na mídia.  Desde o início da pandemia e o uso

Agende Sua Consulta!